(9 a 10 anos) Apostilas FEB – Evangelização – 2º Ciclo de infância – Módulo II – O Cristianismo

2º Ciclo de infância – Módulo I
– O Cristianismo

Sinopse

Objetivo Geral do Módulo:
Identificar a missão de Moisés e reconhecer o decálogo como a base da conduta correta da humanidade; conhecer os fatos da vida de Jesus, relacionando-os com as experiências vividas por nós.

Duração Provável:
10 aulas

Faixa Etária:
09 a 10 anos

I Unidade – Antecedentes do Cristianismo

1ª Aula –O monoteísmo
2ª Aula – O decálogo
3ª Aula – Não roubarás

II Unidade – Jesus e sua doutrina

4ª Aula – A vida Jesus
5ª Aula – fatos extraordinários da vida de Jesus
6ª Aula – O ensinos de Jesus
7ª Aula –A caridade
8ª Aula – Influência da presença de Jesus na terra

III Unidade – Jesus e Kardec

9ª Aula – O consolador prometido
10ª Aula – A importância da ação evangelizadora

Disponível para download em: http://www.dij.febnet.org.br/evangelizador/banco-de-aulas/2o-ciclo-de-infancia-modulo-ii-o-cristianismo/

—–*—–*—–*—–*—–

Objetivos e Ideias básicas das aulas

I Unidade – Antecedentes do Cristianismo

1ª Aula –O monoteísmo

  1. Citar fatos da vida de Moisés.
  2. Caracterizar Moisés como libertador do povo hebreu.
  3. Ressaltar a missão de Moisés como intermediário da mensagem divina contida nos Dez Mandamentos.

* “Identificar Moisés como ‘Mensageiro de Deus’, com a missão de confirmar a revelação do Deus único e entregar ao mundo a Lei Divina contida no Decálogo ou Tábuas da Lei.” (18)
* “Todas as raças da Terra devem aos judeus esse benefício sagrado, que consiste na revelação do Deus Único, Pai de todas as criaturas e Providência de todos os seres.” (14)
* Moisés teve dupla missão a desempenhar: receber os Dez Mandamentos da Lei Divina e livrar o povo Hebreu da escravidão no Egito, levando-o até Canaã, a Terra Prometida.

2ª Aula – O decálogo

  1. Dizer qual a mais importante tarefa de Moisés.
  2. Informar-se sobre o conteúdo do Decálogo.

* “A lei de Deus formulada nos Dez Mandamentos é invariável e permanente, ao passo que a Lei Civil ou
Disciplinar de Moisés se modificou com o decorrer do tempo.” (18)
* “É de todos os tempos e de todos os países essa lei e tem, por isso mesmo, caráter divino. Todas as outras são leis que Moisés decretou, obrigado que se via a conter, pelo temor, um povo de seu natural turbulento e indisciplinado, no qual tinha ele de combater arraigados abusos e preconceitos, adquiridos durante a escravidão do Egito.” (1)

* Foi no Monte Sinai que o Senhor, por intermédio de seus mensageiros, revelou a Moisés os Mandamentos Divinos.
* “Os mandamentos de Deus, dados por intermédio de Moisés, contêm o gérmen da mais ampla moral cristã. Os comentários da Bíblia, porém, restringiam-lhe o sentido, porque, praticada em toda a sua pureza, não na teriam então compreendido. Mas, nem por isso os dez mandamentos de Deus deixavam de ser um como frontispício brilhante, qual farol destinado a clarear a estrada que a Humanidade tinha de percorrer.” (2)

3ª Aula – Não roubarás

  1. Interpretar o Mandamento Não Roubarás

O sétimo mandamento da lei de Deus encerra um princípio básico de Justiça.
* “Furto é toda apropriação de bens pertencentes a outrem, sem o consentimento dele (…)” (9)
* “(…) o furto pode revestir-se de inúmeros aspectos que, embora não caracterizados nos códigos penais terrenos, nem por isso deixam de ser condenáveis aos olhos de Deus.” (9)

II Unidade – Jesus e sua doutrina

4ª Aula – A vida Jesus

  1. Citar fatos importantes da vida de Jesus.
  2. Dizer qual ensinamento Jesus exemplificou ao ser preso. 
  3. Inteirar-se dos fatos que envolveram a crucificação de Jesus.
  4. Identificar Jesus como o Mestre de toda a Humanidade.

* Os atos da vida de Jesus enfocando os aspectos relacionados com a sua prisão, crucificação e ressurreição (prova da imortalidade).” (18)
* “Reconhecê-Lo como mestre de toda a Humanidade.

Consultar Jo, 18:19-20.” (18)
* Toda a vida de Jesus na Terra foi um ensinamento constante de humildade e de cumprimento do dever. Desde seu nascimento, na manjedoura singela, até os últimos momentos na cruz, sua exemplificação foi completa. Seu respeito profundo pelos pais; o cuidado que dedicava aos companheiros; a sabedoria que demonstrou perante os doutores do Templo; as atitudes que tomou para fazer cumprir as profecias existentes a seu respeito, tudo isso nos comprova a sublimidade de sua missão entre os homens.

5ª Aula – fatos extraordinários da vida de Jesus

  1. Citar alguns fatos considerados extraordinários da vida de Jesus.
  2. Dizer o que Jesus pretendia provar com os atos que praticava.

* “Relato de fatos extraordinários da vida de Jesus, como: a pesca milagrosa (Lc, 5:1-7); a multiplicação dos pães (Mc, 6:30-44); Jesus caminhando sobre o mar (Mc,6,45-51); a tempestade aplacada, (Mt, 8:23-27) etc.
* Esses fatos foram considerados milagrosos por falta de conhecimento das leis que os regem.” (18)
* Dentre os muitos fatos extraordinários da vida de Jesus, podemos citar as curas dos doentes em geral (cegos, paralíticos, leprosos, loucos) e suas aparições aos discípulos, após o seu sacrifício na cruz.
* Jesus curava os doentes da alma e do corpo para mostrar que estava com a verdade, e que seus ensinamentos, quando aplicados, fariam o homem feliz e sadio.

6ª Aula – O ensinos de Jesus

  1. Citar um ensinamento de Jesus.
  2. Dizer o que podemos fazer para expressar o nosso amor ao proximo (caridade moral).

* “(…) eu vim para que todos tenham vida e a tenham em abundância” (Jo, 10:10). Nessa lição, Jesus quis enfatizar o sentido de viver em harmonia com as Leis Divinas.” (18)

* “‘Amar o próximo como a si mesmo: fazer pelos outros o que quereríamos que os outros fizessem por nós’ é a expressão mais completa da caridade, porque resume todos os deveres do homem para com o próximo. (…)” (3)

7ª Aula –A caridade

  1. Explicar o que é caridade.
  2. Enumerar situações nas quais podemos praticar a caridade.

* Em todos os momentos Jesus ensinou que podemos fazer o bem, mesmo que sejamos pobres de recursos materiais, pois a caridade, as boas ações que praticamos em favor do próximo, valem pelo amor com que as fazemos, e não pelo valor financeiro do que distribuímos. Esse ensinamento está expresso na passagem evangélica que narra o Óbolo da viúva. (Marcos,12:41-44).
* “A caridade é a virtude fundamental sobre que há de repousar todo o edifício das virtudes terrenas. Sem ela não existem as outras. Sem a caridade não há esperar melhor sorte, não há interesse moral que nos guie; sem a caridade não há fé, pois a fé não é mais do que pura luminosidade que torna brilhante uma alma caridosa.” (5)

8ª Aula – Influência da presença de Jesus na terra

  1. Identificar a importância da presença de Jesus na Terra.
  2. Dizer como seus ensinos influenciam, até hoje, o comportamento dos homens

* “Uma das mais importantes lições do Cristo, que repercutiu no conceito de Deus, de maneira significativa, foi a de apresentá-Lo como Pai.
* A idéia da filiação divina de todos nós foi a semente da fraternidade universal.” (18)
* “(…) o papel de Jesus não foi o de um simples legislador moralista, tendo por exclusiva autoridade a sua palavra. (…) a autoridade lhe vinha da natureza excepcional do seu Espírito e da sua missão divina. Ele viera ensinar aos homens que a verdadeira vida não é a que transcorre na Terra e sim a que é vivida no reino dos céus; viera ensinar-lhes o caminho que a esse reino conduz, os meios de eles se reconciliarem com Deus (…).” (1)

III Unidade – Jesus e Kardec

9ª Aula – O consolador prometido

  1. * Analisar a expressão de Jesus: “E eu rogarei ao Pai e ele vos dará outro Consolador (…)”. (Jo, 14:16)
  2. * Dizer qual o significado da palavra “consolador”.
  3. * Dizer se o Espiritismo tem caracterítiscas de um consolador

* “E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, a fim de que esteja para sempre convosco (…)” (Jo,14:16.)
* “Tenho ainda a vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora; quando vier, porém o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda verdade.” (Jo, 16:12-13).
* “O Espiritismo, partindo das próprias palavras do Cristo, como este partiu das de Moisés, é conseqüência direta da sua doutrina.” (10)
* “O Espiritismo, longe de negar ou destruir o Evangelho, vem, ao contrário, confirmar, explicar e desenvolver, pelas novas leis da Natureza, que revela, tudo quanto o Cristo disse e fez (…)” (10)
* “Demais, se se considerar o poder moralizador do Espiritismo, pela finalidade que assina a todas as ações da vida (…).” (10)
* “(…) reconhece-se que o Espiritismo realiza todas as promessas do Cristo a respeito do Consolador anunciado.” (10)
* Assim, o Espiritismo realiza o que Jesus disse do Consolador prometido: conhecimento das coisas, fazendo que o homem saiba donde vem, para onde vai e por que está na Terra (…).” (7)


10ª Aula – A importância da ação evangelizadora

  1. Dizer qual o maior objetivo da ação evangelizadora.
  2. Descrever as condições do mundo se os homens passarem a agir de maneira evangelizada.

* “A Evangelização, sob a ótica do Espiritismo, possibilitará ao homem o trabalho de transformação íntima que o harmonizará consigo mesmo, com tudo que o cerca e com Deus.” (18)
* “Considerando-se, naturalmente, a criança como o porvir acenando-nos agora, e o jovem como o adulto de amanhã, não podemos, sem graves comprometimentos espirituais, sonegar-lhes a educação, as luzes do Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo, fazendo brilhar em seus corações as excelências das lições do excelso Mestre com vistas à transformação das sociedades terrestres para uma nova Humanidade.
* O momento que atravessamos no mundo é difícil e sombrio, enquanto as sociedades terrestres necessitam, mais e mais, dos tocheiros do Evangelho, a fim de que não se percam nos meandros do mal ou resvalem nos penhascos do crime os corações menos experientes e as almas desavisadas. O sublime
ministério da Evangelização Espírita Infanto-Juvenil nos pede prosseguir e avançar”. (17)

* Bibliografia:

1. KARDEC. Allan. O Evangelho segundo o Espiritismo. Tradução de Guillon Ribeiro. 125. ed. Rio de Janeiro: FEB, 2006.Cap.I, Item 2 e 4.
2. ______. Item 9.
3. ______. Cap. XI, Item 4.
4. ______. Item 8.
5. ______. Cap. XIII, item 6 e 12.
6. ______. Cap. VI, item 3.
7. ______. Item 4.
8. CALLIGARIS, Rodolfo. Páginas de Espiritismo Cristão. 5. ed. Rio de Janeiro: FEB, 2001. Cap. 43.
9. ______. Cap. 19.
10. KARDEC, Allan. A Gênese. Tradução de Guillon Ribeiro. 48. ed. Rio de Janeiro: FEB, 2005. Cap. I, item 10, 21, 30, 41 e 42.
11. ______. Cap. XIII, itens 1 a 3; cap. XV.
12. ______. O Livro dos Espíritos. Tradução de Guillon Ribeiro. 86. ed. Rio de Janeiro: FEB, 2006. Perg. 882 e comentário.
13. ______. Perg. 884.
14. XAVIER, Francisco Cândido. A Caminho da Luz. 33. ed. Rio de Janeiro: FEB, 2005. Cap. 7.
15. ______. Fonte Viva. 33. ed. Rio de Janeiro: FEB, 2005. Cap. 25.
16. ______. Cap. 55.
17. Equipe FEB. Evangelização Espírita da infância e da juventude na Opinião dos Espíritos. 3. ed. Rio de Janeiro: FEB, 1986. Pg. 7.
18. ROCHA, Cecília & equipe. Currículo para as escolas de evangelização espírita infanto-juvenil. 3. ed. Rio de Janeiro: FEB, 2006.
19. VINÍCIUS. Nas pegadas do Mestre. 10. ed. Rio de Janeiro: FEB, 2005. Pg. 130.

About these ads

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s