Busca

Evangelização Infantil

Compartilhar aulas espiritismo

Prece – vídeos do Canal Amigos da Luz

Do Canal Amigos da Luz:

TOMA LÁ DA CÁ? (Humor e Espiritismo)

PRECE COM PRESSA (Humor e Espiritismo)

JÁ É TEMPO (Humor e Espiritismo)

Atividade: cartões

Bordas bonitinhas para cartões:

Pdf editável: Bordas

bordas

Do site: http://www.worldlabel.com/Pages/designed-label-templates.htm#cat6

Lá tem várias coisas fofas.

Atividade: Prece

Após a exposição acerca do tema oração.

Colocar uma música suave ao fundo. Pedir para os evangelizandos fechar os olhos, serenar a mente, respirar profunda e tranquilamente, e acompanhar a oração de louvor, de agradecimento e de pedidos que o evangelizador irá fazer.

O ambiente ficará com uma gostosa harmonia.

Pedir para que eles desenhem/pintem (giz, lápis de cor, tinha guachê) o que eles sentiram durante a prece.

Dar alguns minutos.

Após, pedir para eles explicarem o que desenharam e por que.

Muito interessante!

A Amizade

A amizade real

Um grande senhor que soubera amontoar sabedoria, além da riqueza, auxiliava a diversos amigos pobres na manutenção do bom ânimo, na luta pela vida.

Sentindo-se mais velho, chamou o filho à cooperação. O rapaz deveria aprender com ele a distribuir gentilezas e bens.

Para começar, enviou-o à residência de um companheiro de muitos anos, ao qual destinava trezentos cruzeiros mensais.

O jovem seguiu-lhe as instruções.

Viajou seis quilômetros e encontrou a casa indicada. Contrariando-lhe a expectativa, porém não encontrou um pardieiro em ruínas. O domicílio, apesar de modesto, mostrava encanto e conforto. Flores perfumavam o ambiente e alvo linho vestia os móveis com beleza e decência.

O beneficiário de seu pai cumprimentou-o, com alegria efusiva, e, depois de inteligente palestra, mandou trazer o café num serviço agradável e distinto. Apresentou-lhe familiares e amigos que se envolviam, felizes, num halo enorme de saúde e contentamento.

Reparando a tranquilidade e a fartura ali reinantes, o portador regressou ao lar, sem entregar a dádiva.

– Para quê? – confabulava consigo mesmo – aquele homem não era um pedinte. Não parecia guardar problemas que merecessem compaixão e caridade. Certo, o genitor se enganara.

De volta, explicou ao velho pai, particularmente, quanto vira, restituindo-lhe a importância de que fora emissário.

O ancião, contudo, após ouvi-lo calmamente, retirou mais dinheiro da bolsa, dobrou a quantia e considerou:

– Fizeste bem, tornando até aqui. Ignorava que o nosso amigo estivesse sob mais amplos compromissos. Volta à residência dele e, ao invés de trezentos, entrega-lhe seiscentos cruzeiros, mensalmente, em meu nome, de ora em diante. A sua nova situação reclama recursos duplicados.

– Mas, meu pai – acentuou o moço –, não se trata de pessoa em posição miserável. Ao que suponho, o lar dele possui tanto conforto, quanto o nosso.

– Folgo bastante com a notícia – exclamou o velho.

E, imprimindo terna censura à voz conselheiral, acrescentou:

– Meu filho, se não é licito dar remédio aos sãos e esmolas aos que não precisam delas, semelhante regra não se aplica aos companheiros que Deus nos confiou. Quem socorre o amigo apenas nos dias de extremo infortúnio, pode exercer a piedade que humilha ao invés do amor que santifica. Quem espera o dia do sofrimento para prestar o favor, muita vez não encontrará senão silêncio e morte, perdendo a melhor oportunidade de ser útil. Não devemos exigir que o irmão de jornada se converta em mendigo, a fim de parecermos superiores a ele, em todas as circunstâncias. Tal atitude de nossa parte representaria crueldade e dureza. Estendamos-lhe nossas mãos e façamo-lo subir até nós, para que nosso concurso não seja orgulho vão. Toda gente no mundo pode consolar a miséria e partilhar as aflições, mas raros aprender a acentuar a alegria dos entes amados, multiplicando-a para eles, sem egoísmo e sem inveja no coração. O amigo verdadeiro, porém, sabe fazer isto. Volta, pois, e atende ao meu conselho para que nossa afeição constitua sementeira de amor para a eternidade. Nunca desejei improvisar necessitados em torno de nossa porta e, sim, criar companheiros para sempre.

Foi então que o rapaz, envolvido na sabedoria paterna, cumpriu quanto lhe fora determinado, compreendendo a sublime lição da amizade real.

 

Cap. 18 do livro Alvorada Cristã, pelo Espírito Neio Lúcio, psicografia de Francisco Cândido Xavier, ed. Feb.

Contação de histórias – tema: MEIO AMBIENTE

Monólogo da Natureza

Monólogo da Natureza

Tereseinha Cauhi de Oliveira
Editora FTD

A “mãe natureza” analisa a condição em que foi criada perfeita, bela e auto-suficiente, e os danos que está sofrendo pela interferência do ser humano, muitas vezes causados por sua ganância. Sem forças para lutar sozinha, vê a educação ambiental como a única solução. Então, apresenta sugestões simples e concretas para a recuperação do meio ambiente.

Ecologia, meio ambiente, preservação da natureza

Ilustrado.

 

A Terra pede socorro

Autor: Pedro Paulo da Luz
Editora: Artpensamento

Vetuno é o irmão mais velho do querido planeta Terra. Um dia, com saudades, resolveu visitar sua irmã e qual não foi a surpresa ao vê-la aflita e triste! Logo o planeta Vetuno notou o que os filhos de sua irmã estavam fazendo com ela. Resolve, então, relatar a situação para seu Pai, e ele faz uma série de recomendações mostrando que a educação para a preservação do meio ambiente e a educação para o desenvolvimento sustentável estão relacionados à educação dos sentimentos.

A mudança para melhores hábitos começa primeiramente dentro de nós. O que  nós estamos fazendo pela nossa mãe Terra? Como ela chegou no atual estado? Como ensinar as crianças a cuidar do nosso planeta? Estas são as questões que o planeta Vetuno explica de maneira lúdica e emocionante, demonstrando que somente a educação para o bem é capaz de ajudar a nossa mãe Terra.

Ecologia, meio ambiente, preservação da natureza, educação dos sentimentos

http://www.artpensamento.com.br/produto/projeto_educacao_ambiental

 

Caça ao tesouro – uma viagem ecológica

Autores:Michele Iacocca e Liliana Iacocca
Editora Ática

Alexandre e sua turma levam os leitores em uma viagem em busca de pistas para descobrir um grande tesouro. Para isso, eles contam com a ajuda do professor Procópio, um cientista que constrói uma máquina capaz de se deslocar grandes distâncias em poucos segundos. Nesta fantástica aventura, as crianças vão discutir a importância da preservação do meio ambiente e do desenvolvimento sustentável.

Preservação meio ambiente, natureza, desenvolvimento sustentável, qualidade de vida

Nadine: uma gota no oceano 

 
Ademar Lopes Junior
Editora: Editora Allan Kardec
Ilustrado, colorido
Páginas: 24

O livro conta a história de Nadine, uma gotinha do mar que aprendeu com o ciclo da água a sua importância para a vida na Terra. Uma hora como vapor, outra como chuva, outra nas torneiras, Nadine revela a cada página do livro conceitos da Doutrina Espírita como a importância da renovação do pensamento, a necessidade de mudança de atitudes, a vida em sociedade, a responsabilidade de conservação do meio ambiente, o trabalho etc.

Impresso em papel reciclado.

Sinopse: Nadine é uma gotinha do mar que descobre a importância da água para a vida na Terra. A obra retrata conceitos como a importância da renovação do pensamento e a responsabilidade de conservação do meio ambiente.

Viravirou: uma história de reciclagem 

 
Editora: Editora Allan Kardec
Ilustrado, colorido
Páginas: 24
Autor: Ademar Lopes Junior

As crianças vão se divertir com a história da árvore que vira papel, livro, papel reciclado e de novo vira livro. É uma releitura das leis divinas do progresso, do trabalho e da reencarnação.

 

RIOMAR

 

Autor: Ademar Lopes Junior
Editora Allan Kardec

Esta obra infantil tem a natureza como motivo, cenário e pano de fundo. Narra a história de um riozinho medroso, que nasceu de um pequeno olho d¿água muito fria e cristalina, no alto de uma montanha, até chegar ao seu destino – o mar.

Mas para chegar até lá, quantos obstáculos, quantas aventuras, quanta coragem! A história destaca a importância de caminhar com confiança para o objetivo maior da existência, o engrandecimento do ser. O livro é impresso em papel reciclado.

 

Na praia e no luar, tartaruga quer o mar

Parte da coleção Sinal Verde
Autor: Ana Maria Machado

Pedro e Luísa encontram uma tartaruga marinha encalhada na praia e se dão conta de que a espécie precisa ser protegida. Mas têm que enfrentar os pescadores, que vendem as tartarugas para sua subsistência

Abaixo um artigo sobre o livro, do site: http://planetasustentavel.abril.com.br/planetinha/livros/conteudo_planetinha_419583.shtml

” 04/01/2009 Manoella Oliveira

Um dia, passeando pelo litoral, nas piscininhas que se formam na maré baixa entre os recifes de corais, Luísa e Pedro encontraram uma tartaruga bastante machucada, presa entre as pedras com um pedaço de rede. As crianças menorzinhas que iam à aula de manhã e passavam o recreio brincando neste lugar, que Luísa batizou de “casa dos peixinhos”, estavam em volta do bicho e conversavam com a professora sobre o que fazer. A escola era bem em frente à praia.

Entre as ideias das crianças de pegá-la para ser o almoço, virar pastel, sopa ou deixar viva para roubar os valiosos ovinhos que ela botaria depois, Pedro sugeriu que ninguém a matasse, mas que a ajudasse a voltar para o mar. Mas como era pesada!!

Foi assim, na aflição de salvar a tartaruga, que Luísa, a caçula, começou uma verdadeira campanha pela vida dos animais. A menina aprendeu com o irmão que as tartarugas podem viver centenas de anos e achou um absurdo que uma possível “colega de Cabral” pudesse acabar na panela de alguém. Você não concorda?

Mas existia um obstáculo. Um dos pescadores mais bravos do lugar, Seu Chico, não gostou daquela história. Nem ele nem os homens que trabalhavam com ele e ganhavam um bom dinheiro pela venda dos bichos que se transformavam em jantar, creme de beleza, sapatos e óculos.
Os amigos de Luísa já haviam compreendido a importância da preservação da espécie e o tamanho da maldade que os pescadores faziam com as tartarugas indefesas, por isso fundaram o Clube da Tartaruga. Foi a maior confusão na porta da escola! “

Proteção natureza, animais, sustentabilidade

Sarcoramphus Papa Cathartidae

Autor: PEDRO PAULO DA LUZ
Editora: ArtPensamento
16 páginas

Sarcoramphus é um urubu com muitas virtudes, no entanto, no lugar onde morava ninguém notava a sua importância, e por isso, ele sofria muitos preconceitos, ficava isolado na escola e seus amigos nunca queriam brincar com ele. Um dia, algo aconteceu na cidade e, de urubu desprezado, Sarcoramphus passou a ser Rei. Esta história nos faz refletir sobre preconceitos que ainda temos e que, muitas vezes, nos impedem de enxergar a importância do outro em nossa vida

“Você sabe quais sãos as suas potencialidades? Aquilo que você faz de melhor e que proporciona felicidade? Sarcoramphus sabia e fazia muito bem o seu trabalho!

Esta história nos faz refletir sobre alguns preconceitos que, muitas vezes, ainda temos e nos mostra o valor do trabalho humilde e sincero, através da emocionante história de Sarcoramphus e sua família.

O objetivo deste livro é estimular crianças, jovens e adultos a reconheceram as suas virtudes e as virtudes do outro, afim de que todos possamos entender a importância do nosso papel e do próximo neste mundo. Aproveitando, assim, dos diversos campos de trabalho que a vida nos oferece na família, na escola, na profissão, na sociedade, no meio ambiente, etc”.

Assuntos presentes no livro: família, amizade, preconceito e desprezo, os sentimentos de Sarcoramphus (humildade, responsabilidade e caridade), lixo e meio ambiente, respeito às profissões, mudanças da vida, contraste de sentimentos (Sarcoramphus x seus amigos).

Sugestão de leitura: http://www.artpensamento.com.br/produto/sarcoramphus-papa-cathartidae-o-urubu-rei-desprezado-por-ser-bom/

 

 

Contação de histórias – Tema: AUTOCONHECIMENTO

Os dragões de Gabriel

Os dragões de Gabriel
Autor: NINA TERRA
Editora:LAKE

Faixa etária: a partir 7 anos.

Sinopse: Gabriel é um menino muito especial, tão especial que seu nome significa ” o enviado de Deus”. Ele enche de alegria a vida de seus pais e de todos que o conhecem. Ele é amoroso, gentil, extremamente bondoso e sempre ajuda as pessoas. Não é criança de fazer pirraça nem manha. Ele é muito criativo e ama os animais, brinca com dinossauros e adora assistir a filmes de aventura e de lutas marciais. Mas o animal de que ele mais gosta é o dragão. Ele vibra quando os dragões voam e soltam fogo pela boca. ” É demais!”, ele diz.

Um dia Gabriel acordou estranho… Estava passando por algumas mudanças de comportamento. Durante um sonho, Gabriel aprendeu com os Dragões o que suas atitudes atraem para sua vida.

Sugestão: autoconhecimento, reconhecer sentimentos e emoções em nós, reflexo de nossa ações

Ecos da vida

Ecos da vida
Coleção Pequenas Lições
Editora: Soler

Tudo o que fazemos na vida, mais cedo ou mais tarde, retorna para nós mesmos.

Nossa vida é um reflexo das nossas ações.

Para visualizar: http://evangelizacao-infantil.blogspot.com.br/2011/04/pequenas-licoes-ecos-da-vida.html

 

Espelho, espelho meu

Espelho, espelho meu
Autora: Cristiane Lenzi Beira
Editora Fráter

Sinopse: Belinha se preocupava demais com sua aparência e isso lhe trazia muitos aborrecimentos. Um dia, durante um passeio, conheceu Rita e com ela aprendeu que podia ser mais simples e mais feliz.

Obra totalmente ilustrada em cores. Para maior entretenimento e fixação dos conhecimentos, apresenta trechos em que há interação por meio de perguntas, seguidas de espaço para o leitor escrever suas respostas.

Sugestão: vaidade

Perdoar, sempre!!!

Perdoar, sempre!!!
Pequenas Lições – Perdoar Sempre
Editora: Soler Editora

O pai de Aninha lhe mostrou uma lição: não devemos ficar com raiva de ninguém.

Visualizar: http://evangelizacao-infantil.blogspot.com.br/2011/04/pequenas-licoes-perdoar-sempre.html

Temas: raiva, perdão

 

O que é o amor?

O que é o amor?
Editora Soler
Coleção Pequenas Lições

Na sala de aula, Alice deu a maior prova do que é o verdadeiro amor.

Só podemos trazer o amor no coração e não em coisas materiais

Temas: amor, amor divino, criações de Deus

 

Desculpe-me!

Desculpe-me!
Editora Soler
Coleção Pequenas lições

A impressão que deixamos nas pessoas é impossível de apagar. Quando magoamos com nossas ações ou com nossas palavras, mesmo tentando consertar o erro, pedindo desculpas, poderá ser tarde demais.

Pedir desculpas é um gesto de educação, sempre devemos praticá-lo, mas desculpas não apagam mágoas nem decepções e, também, não consertam corações amassados.

Temas: raiva, desculpas, perdão

Ver http://evangelizacao-infantil.blogspot.com.br/2011/04/pequenas-licoes-desculpe-me.html

 

 

Sarcoramphus Papa Cathartidae

Autor: PEDRO PAULO DA LUZ
Editora: ArtPensamento
16 páginas

Sarcoramphus é um urubu com muitas virtudes, no entanto, no lugar onde morava ninguém notava a sua importância, e por isso, ele sofria muitos preconceitos, ficava isolado na escola e seus amigos nunca queriam brincar com ele. Um dia, algo aconteceu na cidade e, de urubu desprezado, Sarcoramphus passou a ser Rei. Esta história nos faz refletir sobre preconceitos que ainda temos e que, muitas vezes, nos impedem de enxergar a importância do outro em nossa vida

“Você sabe quais sãos as suas potencialidades? Aquilo que você faz de melhor e que proporciona felicidade? Sarcoramphus sabia e fazia muito bem o seu trabalho!

Esta história nos faz refletir sobre alguns preconceitos que, muitas vezes, ainda temos e nos mostra o valor do trabalho humilde e sincero, através da emocionante história de Sarcoramphus e sua família.

O objetivo deste livro é estimular crianças, jovens e adultos a reconheceram as suas virtudes e as virtudes do outro, afim de que todos possamos entender a importância do nosso papel e do próximo neste mundo. Aproveitando, assim, dos diversos campos de trabalho que a vida nos oferece na família, na escola, na profissão, na sociedade, no meio ambiente, etc”.

Assuntos presentes no livro: família, amizade, preconceito e desprezo, os sentimentos de Sarcoramphus (humildade, responsabilidade e caridade), lixo e meio ambiente, respeito às profissões, mudanças da vida, contraste de sentimentos (Sarcoramphus x seus amigos).

Sugestão de leitura: http://www.artpensamento.com.br/produto/sarcoramphus-papa-cathartidae-o-urubu-rei-desprezado-por-ser-bom/

 

Atividade

Flores de bala de goma para usar em dia/atividade comemorativa.

Super simples, as crianças podem usar a criatividade e criar a flor com a cor que quiser.

Em relação à embalagem, fiz com garrafas pet (coca cola) em casa. Pesquisar por pote garrafa pet.

 

balas de goma
flor de bala de goma

CORAÇÃO – DOBRADURA

origami dobradura coração simples
origami dobradura coração simples

 

Usei como fonte:

Coração

E o porta trecos, usei foi o site:

http://inventandocomamamae.blogspot.com.br/2010/06/varinha-da-sininho-e-pote-de-pet.html?showComment=1408898437441#c316351012946392710

 

Instruções:

– Garrafa PET de Coca-Cola (tem que ser de Coca-Cola, pois já tem as ranhuras e tem o formato que faz acinturinha como a Sofia diz. Tentei com garrafa de Mate e de Guaraná e não deu certo);
– Tesoura;
– Caneta marcador de plástico (não é tão necessário).

Como fazemos:

Cortamos a parte inferior da garrafa aproveitando as ranhuras já existentes. Seguimos a linha abaixo do rótulo.
Marcamos as ranhuras intercaladas exatamente onde a embalagem faz uma cinturinha. Depois cortamos seguindo as linhas das ranhuras intercaladas até o ponto marcado (tem que ser exatamente até acinturinha) e arredondamos as pontas. Aí é só dobrar para dentro que o pote se fecha.

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 58 outros seguidores